Flash news
Atenção mulheres ao Câncer Cervical: saiba os sintomas, causas e tratamentos...Ver mais
06/11/2023

Embora não esteja completamente claro o que causa o Câncer Cervical, sabe-se que o HPV desempenha um papel importante. 

Em estágios iniciais, o Câncer Cervical geralmente não apresenta sintomas. No entanto, em estágios mais avançados, pode causar os seguintes sinais e sintomas:

Hemorragia vaginal após a relação sexual, entre os períodos ou após a menopausa;
Descarga vaginal com sangue que pode ser pesada e ter um odor desagradável;
Dor pélvica ou durante o sexo.

Idade: O risco de Câncer Cervical aumenta à medida que você envelhece.

Pobreza: As mulheres que não têm acesso a exames de triagem regulares são mais propensas a serem diagnosticadas com Câncer Cervical em um estágio avançado.

Falta de Vacinação contra HPV: A vacinação pode ajudar a prevenir o Câncer Cervical em mulheres jovens.

O câncer cervical pode ser classificado em quatro fases, sendo elas:

Fase I: Nesta fase, o câncer está localizado apenas no colo do útero.
Fase II: O câncer se espalhou para a parte superior da vagina, além de estar presente no colo do útero.
Fase III: O câncer se disseminou para a parte inferior da vagina ou internamente para a parede lateral pélvica.
Fase IV: Nessa fase, o câncer se espalhou para órgãos próximos, como bexiga ou reto, ou para outras áreas do corpo, como pulmões, fígado ou ossos.

Entre as opções terapêuticas, destacam-se a cirurgia, a radioterapia, a quimioterapia ou uma combinação dessas modalidades.

Histerectomia simples: Nesse procedimento, o colo do útero e o útero são removidos junto com o câncer. A histerectomia simples é geralmente indicada para o tratamento de câncer cervical em estágio inicial.

Histerectomia radical: Nesse caso, o colo do útero, o útero, parte da vagina e os gânglios linfáticos da região são removidos juntamente com o câncer.

Radioterapia de feixe externo: nessa técnica, um feixe de radiação é direcionado para a área do corpo afetada pelo câncer.

Braquiterapia: essa modalidade consiste em inserir um dispositivo preenchido com material radioativo dentro da vagina, por um período geralmente curto (alguns minutos).

Radioterapia combinada: pode ser utilizada tanto a técnica de radioterapia de feixe externo quanto a braquiterapia, dependendo do caso.